quinta-feira, 19 de julho de 2018

Os Últimos Clones



Quando a audiência de Star Wars embarca numa série animada como The Clone Wars, parece óbvio que a história narrada ali faria uma ponte entre os Episódios II e III, encerrando-se, supostamente, onde A Vingança do Sith teria início. Foi o que imaginei durante seis impecáveis temporadas, quer dizer, o fecho das Guerras Clônicas de Dave Filoni reproduziria o clímax da versão¹ de Genndy Tartakovsky (Clone Wars, 2003) ou daria um rumo distinto aos derradeiros momentos do conflito.

No fim, nenhuma coisa nem outra. De significativo mesmo, o final do sexto ano apenas revelava como Yoda tomara ciência da técnica do fantasma da Força e silenciava quanto à ação Separatista que culminaria no sequestro de Palpatine. Hoje, contudo, sem qualquer anúncio prévio, a sétima temporada de The Clone Wars saiu do saco e, ao que parece, vem para preencher essas lacunas. 

Algo, no mínimo, inusitado, já que a bola da vez seria Resistance, o sucessor do recém-findo Star Wars Rebels, que teria seu lugar entre os 30 anos que separam os Episódios VI e VII. Mas isso não tem qualquer relevância, o que importa é que quanto mais Ahsoka Tano, melhor².

¹ Não absorvida no novo cânone inaugurado em 2014 - e alvo do 7 Jagunços #41. ² No Webisode acima, A Disarming Lesson, de Forces of Destiny, descobrimos o quão parecida a Padawan de Anakin é com seu Mestre.

Nenhum comentário: